FAC Regionalizado 2018 democratiza acesso aos recursos da cultura

Edital, lançado nesta sexta-feira (8), promove injeção de R$ 8 milhões na descentralização de projetos culturais no Distrito Federal

O governador Rollemberg lançou nesta sexta-feira (8) o edital do FAC Regionalizado 2018. Foto: Renato Araújo.
Pelo terceiro ano consecutivo, o Fundo de Apoio à Cultura (FAC) será descentralizado. O lançamento do edital FAC Regionalizado 2018 ocorreu nesta sexta-feira (8), no Foyer da Sala Villa-Lobos do Teatro Nacional Claudio Santoro. A cerimônia contou com a participação do governador Rodrigo Rollemberg.

A inovação do governo de Brasília permite que regiões pouco participativas do edital possam agora ver seus projetos aprovados com maior frequência. A ideia é considerada um marco da democratização da produção cultural.

Nesta edição, serão destinados R$ 8,04 milhões para 121 novos projetos. Em três anos do edital, foram R$ 23 milhões investidos em atividades voltadas para a descentralização cultural.

“Fico muito feliz de ver atendido este compromisso do governo com a comunidade cultural, de diversas cidades de Brasília, que é de regionalizar e desburocratizar o financiamento cultural”, disse o governador.

A divulgação do FAC Regionalizado 2018 contou com discotecagem do violeiro Cacayi Nunes, com seu projeto Forró de Vitrola, e apresentação do grupo de teatro Mamulengo Sem Fronteiras.

Estiveram presentes, entre outras autoridades, o secretário de Cultura, Guilherme Reis; a secretária-adjunta de Cultura, Nanan Catalão; e a colaboradora do governo de Brasília Márcia Rollemberg.

O edital selecionará projetos nas áreas culturais de:
Artes plásticas, visuais e fotografia
Artesanato
Audiovisual
Cultura digital e arte-tecnologia
Manifestações circenses
Cultura popular e manifestações tradicionais
Dança
Design e moda
Gestão, pesquisa, difusão e capacitação nas áreas artística e cultural
Literatura
Livros e leitura
Música
Ópera e musical
Patrimônio histórico e artístico material e imaterial
Rádio e televisão educativos e culturais sem caráter comercial
Teatro
Descentralização e intercâmbio garantidos

Com o objetivo de descentralizar a execução dos projetos e democratizar o acesso aos recursos disponíveis no fundo, fica garantido, com o edital, o intercâmbio e a difusão cultural nas comunidades do DF.

Os projetos deverão ser produzidos em oito macrorregiões que contemplam as diversas regiões administrativas. São as seguintes:
1) Gama, Park Way e Santa Maria
2) Candangolândia, Cruzeiro, Núcleo Bandeirante, Vila Planalto e Vila Telebrasília
3) Águas Claras, Guará, Taguatinga e Vicente Pires
4) Recanto das Emas, Riacho Fundo I e Riacho Fundo II
5) Fercal, Planaltina, Sobradinho e Sobradinho II
6) Itapoã, Jardim Botânico, Paranoá, São Sebastião e Varjão
7) Brazlândia, Estrutural e Setor de Indústria e Abastecimento (SIA)
8) Ceilândia e Samambaia

Os projetos inscritos poderão propor quaisquer formatos, atividades ou ações, contempladas as diversas etapas da cadeia produtiva, desde que envolvam uma ou mais áreas culturais relacionadas.

Com foco na viabilidade de projetos culturais que contribuem para a promoção, democratização e formação de plateia, não foi inserida no edital a exigência de contrapartida financeira ou artístico-social por parte dos agentes contemplados.

Desde 2015, o FAC tem alcançado recordes históricos de investimento. Hoje, considerado o maior fundo público de investimento direto de cultura, chegou ao marco de R$ 44 milhões em execução em 2017, o maior montante.
Compartilhar

About Paulo Melo

0 comentários:

Postar um comentário