Aparecida de Goiânia comemora os seus 99 anos



Aparecida de Goiânia é um município brasileiro do estado de Goiás. Localiza-se na Região Metropolitana de Goiânia. Sua população, conforme a estimativa de 2020, era de 590 146 habitantes, sendo o segundo município mais populoso do estado, ficando atrás somente de Goiânia. Estendendo-se por uma área de 288.4 km² e ostentando um PIB de 13.265.875 bilhões de reais em 2018 (terceiro maior PIB de Goiás atrás de Goiânia e Anápolis), é um dos principais centros industriais do estado, sendo intensamente conurbada com Goiânia



A fundação da cidade de Aparecida de Goiânia foi possibilitada pela doação de terras feita por um grupo de fazendeiros da região à Igreja Católica em maio de 1922 e pertencia ao Município de Pouso Alto (atual Piracanjuba), logo depois em 1958 passou a integrar-se ao Município de Grimpas (atual Hidrolândia), tornando-se distrito. Em seguida, no dia 14 de novembro de 1963, o Distrito de Aparecida de Goiás emancipou-se de Hidrolândia , passando a se chamar Aparecida de Goiânia. Aparecida de Goiânia passou então a ser o alvo de inúmeros assentamentos promovidos principalmente pelo governo do estado, o que a impulsionou na classificação de um dos maiores índices de crescimento populacional do Brasil.

O Município de Aparecida de Goiânia se chamou, ainda como povoado, Aparecida, nome derivado da padroeira do lugar, Nossa Senhora Aparecida. Em 1958, a Lei Municipal n. 1295 alterou-lhe o nome para Vila Aparecida de Goiás, e restaurou a condição de Distrito, sendo a derivação implícita. Ainda em 1958, a Lei Municipal n. 1.406, de 26 de dezembro, fixou-lhe o nome de Goialândia, formado de Goia de Goiânia e Lândia de Hidrolândia, o que indica Vila situada entre os municípios de Goiânia e Hidrolândia. O nome "Goialândia" porém não foi aceito por parte dos seus moradores, permanecendo o anterior.

A Lei Estadual n. 4.927, de 14 de novembro de 1963, eleva à categoria de Município o Distrito, modificando-lhe o nome para Aparecida de Goiânia, já com foros de cidade, que pode ser dada como cidade que nasceu de Goiânia. Os primórdios da evolução social do pequeno povoado repousam na capelinha Nossa Senhora Aparecida. Local onde os moradores de então praticavam o culto religioso àquela que seria mais tarde consagrada a padroeira do lugar.

Habitavam naquelas paragens os fazendeiros José Cândido de Queirós, Abrão Lourenço de Carvalho, Antônio Barbosa Sandoval, João Batista de Toledo e Aristides Frutuoso suas mulheres e filhos que, juntando-se a mais outros, formavam o núcleo populacional que marcou o início da sua história.

As frequentes desobrigas levadas a efeito pelos padres sediados em Campinas acabaram por incutir nos primeiros habitantes o sentimento religioso da Igreja Católica Apostólica Romana. Os sacerdotes se transportavam para o pequeno lugarejo em animais a fim de cumprirem missão de fé, acentuando indelevelmente a agregação religiosa, incrementando, consequentemente, a afluência de residentes em função do culto.

Economia
Em seus aspectos econômicos, a pecuária, com a criação de gado bovino com a finalidade de corte e leite é uma das atividades na sua pequena extensão rural. No município onde predomina a indústria extrativa de areia para construções, pedras, barro comum para fabricação de tijolos, a agricultura não é expressiva, tendo-se em vista que são atividades conflitantes, dentro de uma pequena área territorial rural, visto que 70% do seu território encontra-se hoje ocupado por grande proliferação imobiliária, cujos lotes e áreas diversas estão ocupadas por moradias e setores industriais.

O intercâmbio comercial, em maior escala, é realizado com o município de Goiânia e com outros estados, tendo como principal meio de acesso a rodovia BR-153. Por seu turno, Goiânia é o principal centro consumidor de seus produtos extrativos e industrializados. Supermercados, armazéns, mercearias e semelhantes realizam o abastecimento interno.

Aparecida de Goiânia possui agências dos Correios e Telégrafos, milhares de telefones instalados, ônibus de percurso entre a Capital e a maioria das regiões do município, bastante asfalto e muitos bens e serviços públicos, existindo agências bancárias como o Banco do Brasil, Bradesco, CEF, Itaú e outros.

Industrialização
Aparecida de Goiânia tem vocação industrial, pois conta com espaço, investimentos em infra-estrutura e logística de transporte que dão suporte à expansão econômica na região". Ao mesmo passo perde o título de cidade dormitório. Na área de serviços, o Produto Interno Bruto (PIB) do município registrou crescimento de 46% entre os anos de 2002 e 2006. Índice superior ao do Estado que foi de 35%. Segundo levantamento da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), o PIB geral de Goiás teve elevação de 35%, enquanto que o de Aparecida registrou 54%. Um avanço decorrente da expansão da atividade industrial na região. Além de Goiânia, a cidade faz limite com os municípios de Aragoiânia, Bela Vista de Goiás, Hidrolândia e Senador Canedo. O município conta com o Polo Empresarial Goiás, que reúne várias empresas de diversos segmentos, como as fraldas Sapeca, JC Distribuição Logística, entre outras.

Conta com grandes indústrias como: Grupo ORTOMIX, NASA Transportes, Companhia do sono LTDA., Emtram Transportes, Stock Hospitalar, 100 Parar Transportes, Grupo Mabel, Grupo Somafertil LTDA.

Festival de balão celebra aniversário de Aparecida
Evento é realizado em pontos diferentes da cidade para evitar aglomerações e permitir que os moradores contemplem o pôr do sol recheado de cores

Aparecida celebra seus 99 anos de fundação e história nesta terça-feira,11. Tradicionalmente o aniversário da cidade é celebrado com eventos públicos como o desfile cívico militar, o Aparecida Show e cerimonias religiosas. Devido a pandemia da Covid-19, as comemorações pelo segundo ano consecutivo foram adaptadas para evitar aglomerações e consequentemente a disseminação da doença.

Nessa tarde, 15 balões espalhados em pontos estratégicos coloriram o céu da cidade. Olhando para cima nos próximos dois dias, os moradores terão a oportunidade não apenas de contemplar a aquarela de cores, mas também refletir sobres os desafios superados nas últimas décadas, lembrar das conquistas que os enchem de orgulho e prospectar dias ainda melhores.

O prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, que prestigiou o primeiro final de tarde com o Festival Brasileiro de Balonismo, destacou à imprensa que mesmo em meio à pandemia a população tem motivos para celebrar o aniversário da cidade. Segundo ele, as conquistas alcançadas nos últimos anos são fruto das gestões administrativas e também da garra do povo aparecidense.

"Com a pandemia, não tivemos condições de realizar nossos grandes eventos, mas este festival é uma maneira de trazermos um pouquinho de alegria; as crianças estão eufóricas. Aparecida, que ficou muito tempo no 'plano' hoje 'voa', enchendo de orgulho sua população. Esperamos que nos próximos anos, a cidade continue sendo destaque para Goiás, para o Brasil e o mundo", disse Mendanha ao ressaltar que as atividades deste ano marcam ainda o início das comemorações do centenário do município.

Ao celebrar os 99 anos de Aparecida, o prefeito projeta festa maior para o próximo ano. "Esperamos que no dia 11 de maio de 2022 possamos celebrar o centenário com uma grande festa, com grandes atrações, nos abraçando e comemorando com nossa população, inclusive, nossas crianças vacinadas", pontuou o gestor municipal.

Quem saiu de casa para contemplar o colorido no céu de Aparecida não perdeu a viagem. Ao contrário, viveu e registrou momentos felizes, respeitando as orientações de distanciamento social e com uso de máscara. O aposentado José Ribeiro de Paula, 65, assistiu parte do espetáculo com brilho no olhar.  

"Quando chegamos, Aparecida era simplesmente ali [apontando para Região Central] a igrejinha e a Vila Brasília, não tinha nem a Cidade Livre. Hoje, temos muito que comemorar: o crescimento da cidade, o asfalto e muito mais", disse ele, morador da cidade há 45 anos, ao lado da esposa, Divina Maria dos Santos, e da netinha Emanuela Araújo.

Contemplação
O idealizador e realizador do Festival Brasileiro de Balonismo, Rafael Carvalho, explica que, por questões de segurança, os balões não podem sobrevoar grandes cidades. Assim, ele lembra que os balões irão permanecer até quinta-feira, 12, a uma altura de cerca de 100 metros em locais fixos e monitorados, permitindo que os moradores possam contemplar toda beleza do espetáculo à distância.

"Não podemos fazer esse tipo de evento, com o sobrevôo, em regiões metropolitanas. Estamos fazendo tudo controlado e com os balões fixados em cordas. Assim, mesmo de longe, em suas casas, as pessoas podem visualizar e admirar a beleza", destacou o empresário que realiza festivais em diversas regiões do Brasil.

Parceria
O Festival Brasileiro de Balonismo é uma realização da prefeitura em parceria com a Associação Comercial e Industrial e Comercial de Aparecida de Goiânia (Aciag). A entidade, por meio de seus empresários filiados patrocina o evento que até a próxima quinta será realizado das 16h às 19h em vários pontos da cidade.
Compartilhar

About Da redação

0 comentários:

Postar um comentário